unidades

Responsabilidade Socioambiental

A criação de uma sociedade mais sustentável começa na escola.

Quando o conceito de sustentabilidade começou a ser difundido, nos anos 70, muitos pensaram se tratar de um modismo, naturalmente efêmero. Hoje, no entanto, percebe-se que essa ideia diz respeito a uma importante mudança cultural da qual depende a sobrevivência do homem e de seu habitat.

Para uma escola, em particular, ter responsabilidade social e ambiental diz respeito à sua própria razão de ser: educar os alunos, transformando-os em pessoas que enxerguem o mundo sob a perspectiva do combate ao desperdício e da necessidade de soluções inteligentes para a escassez de recursos.

Dentro do valor da transparência, devemos esclarecer que ainda há muito por fazer para que nos tornemos uma referência nessa postura. No entanto, a cada ano, procuramos implementar (de maneira também sustentável, ou seja, dando um passo firme de cada vez) iniciativas e projetos que ajudem a consolidar um ambiente e uma sociedade cujas riquezas sejam permanentes ao longo do tempo.

Grêmio Ambiental

Em 2009, tivemos uma conversa com uma consultora em sustentabilidade ecológica, para identificar medidas práticas que poderíamos adotar no AZ. Sua resposta nos surpreendeu: a adoção de políticas “verdes” de cima para baixo (isto é, como decisões da diretoria) muitas vezes não se transforma em atitudes práticas, pois as medidas não são assimiladas pela comunidade.

gremio ambiental de a a z

Nessa perspectiva, surgiu a ideia de estimular a criação de um grêmio ecológico, de que participariam alunos, monitores e professores. Sua tarefa seria estudar, discutir e propor ações para o colégio. Além dos benefícios finais, essa associação teria a vantagem de estimular um aprendizado verdadeiramente interdisciplinar. Ao examinar a questão do uso de energia na escola, por exemplo, os alunos enfrentariam conteúdos de Física (eletricidade), Matemática (gestão das contas de luz) e Biologia (circulação de ar e saúde).

GambAZ, como os alunos decidiram chamar o grêmio, já está em atividade, com encontros periódicos e atuação no mundo virtual. Em pouco tempo, suas propostas começarão a ser colocadas em prática.

Capacitação de Colaboradores

Entre os valores institucionais do _A_Z, encontra-se o “aprendizado mútuo”, que propõe a construção compartilhada do saber. Essa ideia se concretiza de diversas formas.

A mais visível talvez seja a Semana do Aprendizado Mútuo, na qual são realizados cursos de formação e capacitação, em que os próprios colaboradores do _A_Z ensinam uns aos outros a partir de suas competências e habilidades. O gerente financeiro, por exemplo, dá aulas de finanças pessoais; um professor de português pode montar um curso de comunicação escrita; o coordenador acadêmico ensina sobre os modelos de vestibular.

Além disso, estimulamos a formação contínua de toda a equipe de colaboradores. Seminários, cursos de curta duração, graduações e até MBAs são financiados – parcial ou integralmente – pelo AZ.

Independentemente do ganho que a própria instituição pode ter com essa circulação do conhecimento no curto prazo, a intenção maior é a de contribuir para o desenvolvimento das pessoas. Se cada indivíduo puder realizar seus objetivos de crescimento, todos têm a ganhar.

Ações Sociais

Além do aprendizado mútuo, os valores de “respeito e humanismo” também compõem a ética do AZ. A fim de dar sentido prático ao compromisso social,  foi criado o Grêmio de Empreendedorismo Social, em que alunos e colaboradores promovem diversas ações solidárias ao longo do ano.

A primeira delas ocorre em junho. Trata-se do Inverno Solidário, em que recolhemos casacos e cobertores para doar a pessoas idosas que deles necessitem, já no início dos dias mais frios.

Depois, em outubro, é a vez do Brinquedo Solidário, quando a comunidade AZ arrecada brinquedos e material escolar para doar a crianças carentes. No dia da entrega, geralmente próximo ao 12 de outubro, organizamos um evento em alguma instituição beneficente, contando com a participação dos alunos. A experiência real de contato com o “outro” está na base da tolerância e da sensibilidade social, fundamentos associados a um dos pilares de formação de A a Z: aprender a conviver.

brinquedo solidario

Por último, em dezembro, promovemos o Natal Solidário, que consiste na arrecadação de livros e apostilas (inclusive aquelas que não serão mais usadas pelos alunos), material de grande utilidade para bibliotecas e cursos pré-vestibulares comunitários.

O AZ também se propõe a contribuir com a formação de jovens carentes e, para isso, se associou a duas instituições: aAssociação Vencer e a ASBEPE. A Associação Vencer é uma instituição beneficente cujo principal objetivo é identificar e apoiar estudantes com relevante desempenho acadêmico e perfil empreendedor, promovendo oportunidades a estes jovens talentos de baixa renda. Anualmente, concedemos bolsas de estudo a um grupo de alunos de Ensino Médio indicados por essa associação.

asbepe

No caso da ASBEPE - uma ONG cuja principal missão é promover o resgate da cidadania, da ética e da cultura, através da inclusão sócio-educacional -, nosso papel é o de patrocinar melhorias em suas instalações da Maré e da Gardênia Azul, ajudando a proporcionar um ambiente mais acolhedor e propício à formação das crianças de 3 a 12 anos, atendidas pela instituição.

Nós temos a consciência de que a assistência social não constitui propriamente um elemento da sustentabilidade a longo prazo, porque o ideal é que nenhuma pessoa precise de ajuda e consiga ter sua autonomia existencial. No entanto, como esse ideal está longe da realidade, julgamos importante valorizar a solidariedade e transformá-la em atitudes concretas.

« volta