Escrita Criativa

Aprendendo a escrever roteiros, contos e poemas.

Por que estudar essa disciplina?

A escrita criativa envolve não apenas a transformação da qualidade da redação do aluno, que seria útil até mesmo para gêneros como a dissertação-argumentativa ou a carta-argumentativa; envolve sobretudo a mudança do olhar sobre o mundo a partir da valorização da imaginação.

Essa disciplina, além disso, tem um papel fundamental na promoção de hábitos artísticos e culturais mais profundos, cada vez mais raros e restritos neste século, ao apresentar um lado da literatura, do teatro e do audiovisual para além de escolas literárias, classificações e leituras já realizadas pelos especialistas nos livros didáticos.

Embora pautada em métodos comprovadamente eficientes, a escrita criativa não tem fronteiras pré-definidas, isto é, são os próprios alunos que, ao realizarem as tarefas, experimentarão a possibilidade de superar as técnicas ensinadas e produzir conteúdos genuinamente autorais.

Ademais, nossa intenção é apresentar caminhos profissionais nos quais se pode exercer a escrita em sua dimensão imaginativa, constituindo, portanto, possibilidade de descoberta de vocações.

 

Quem são os estudantes desse curso e o que se espera deles? 

Como gostaríamos de acompanhar os trabalhos propostos em uma dinâmica de orientação individual, presencial ou virtualmente, é crucial que o número de alunos por turma seja de no máximo 20 alunos. Além disso, o nível de concentração deve ser mantido profundamente durante os exercícios, que se baseiam na criatividade, ou será muito difícil para o estudante encontrar soluções cênicas para os problemas apresentados.

Os alunos desta disciplina são interessados em literatura, cinema, teatro e artes em geral, uma vez que o diálogo com outras expressões artísticas é fundamental para a compreensão da linguagem criativa em suas idiossincrasias e possibilidades.

Se partirmos do pressuposto de que o ensino de literatura ainda é marcado por uma visão acadêmica e até certo ponto positivista (escolas literárias) e formalista (análise fria dos mecanismos formais de produção de “desfamiliarização”), não é necessário que o aluno tenha alcançado algum tipo de média em outra matéria. É fundamental, por outro lado, que ele tenha maturidade para estar em um ambiente criativo, especulativo, livre (na medida do possível) e intelectualmente imprevisível.

Pretendemos desenvolver breves materiais para impressão com resumos do conteúdo apresentado, uma leitura de aprofundamento (teórica ou literária) e alguns poucos exercícios para casa, todos com vistas à construção de um trabalho final consistente.

 

Objetivos globais da disciplina

Os estudantes vão aprender a escrever com estilo; a ter um olhar curioso diante do mundo; a desenvolver alteridade e empatia (princípios éticos fundamentais para a compreensão do que vêm a ser os direitos humanos); a ter autoconhecimento enquanto sujeito dotado de imaginação; a trabalhar em grupo; a entrar em contato com um ambiente criativo, no qual todos “respiram” criação estética. A disciplina almeja fazer com que os alunos tenham prazer com a experiência literária e torná-los leitores e espectadores exigentes.

 

Aprendizados de longo prazo (ALP)

Após concluir essa disciplina, os estudantes serão capazes de:

  • Reconhecer o fenômeno literário em variadas manifestações
  • Compreender os principais mecanismos da criação literária
  • Construir textos literários criativos nas expressões dramatúrgicas, narrativas e poéticas
  • Conhecer os caminhos acadêmicos e a rotina de um escritor criativo profissional
  • Elaborar soluções cênicas, narrativas e poéticas para problemas de ordem estético-literária

 

Sobre o professor da disciplina

Guilherme Mattos é graduado em Letras (Português-Literaturas) pela UERJ. Durante a graduação, foi pesquisador-bolsista de Iniciação Científica na área de Teoria da Literatura, e hoje é mestrando na mesma área, nessa universidade, sempre sob orientação de Gustavo Bernardo Krause. Já esteve afastado do magistério, mas não da literatura. É autor do projeto de Remição de Pena pela Leitura, da Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, e hoje faz parte da Comissão de Avaliação do programa. Costuma brincar que é resultado de uma experiência científica da mãe, também professora formada em Letras pela UERJ. Tanto que, ao completar 25 anos, ela lhe deu de presente o curso “Como escrever seu romance?”, ministrado pela escritora Socorro Acioli. Pois é. Guilherme ainda não descobriu se gosta mais de ser professor ou escritor, mas tem certeza de que gosta muito mais de batata frita do que de banana.

 

A estrutura da disciplina

Aula 1: Desvendando os segredos do roteiro I

Objetivos específicos da aula

  • Reconhecer as características formais de um roteiro de dramaturgia
  • Compreender a necessidade de planejamento e pesquisa para a criação literária
  • Aprender a estrutura do roteiro tradicional: plot, início, pontos de virada, problema, clímax, resolução, final
  • Conhecer os softwares de formatação de roteiro
  • Conhecer o roteiro de videogame

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Análise de um trecho de roteiro de um filme conhecido (em grupo)

 

Aula 2: Desvendando os segredos do roteiro II

Objetivos específicos da aula

  • Explorar as técnicas de criação e construção do personagem
  • Compreender como se analisa e como se produz uma cena eficientemente
  • Aprender técnicas de diálogo
  • Conhecer um exemplo de cena originalmente literária adaptada para o cinema

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Rascunhar 2 personagens a partir das técnicas propostas (em grupo)
  • Rascunhar uma cena para os 2 personagens (em grupo)
  • Entrega dos exercícios passados para casa

 

Aula 3: Do microconto ao conto

Objetivos específicos da aula

  • Reconhecer as especificidades do texto propriamente literário
  • Compreender conceitos básicos de teoria literária e narratologia, como mímese, catarse, ponto de vista, detalhe e narrador.
  • Aprender a estruturar um conto e um microconto

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Planejar e rascunhar um conto a partir de um microconto (em grupo)
  • Entrega dos exercícios passados para casa

 

Aula 4: “O prazer do medo”: terror e suspense

Objetivos específicos da aula

  • Compreender a diferença entre terror e suspense em uma obra narrativa
  • Conhecer a tradição literária e cinematográfica do terror e do suspense
  • Dominar mecanismos narratológicos que produzem medo e apreensão
  • Aprender o conceito de “verossimilhança”

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Escrever uma cena de terror no formato literário ou de roteiro (em grupo)
  • Entrega dos exercícios passados para casa

 

Aula 5: “Não pode ser, mas é”: o fantástico e o maravilhoso

Objetivos específicos da aula

  • Reconhecer as diferenças entre os gêneros fantástico, maravilhoso e seus correlatos
  • Aprender a criar personagens e eventos que não têm semelhança com o “real”
  • Compreender o processo de “suspensão da descrença”

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Criar um personagem e esboçar ideias para um mundo fantástico ou maravilhoso (em grupo)
  • Entrega das atividades passadas para casa

 

Aula 6: Uma aula engraçada: humor, comédia e ironia

Objetivos específicos da aula

  • Compreender as diferenças e semelhanças entre humor e comédia
  • Ser capaz de identificar e produzir humor, comédia e ironia em uma obra
  • Reconhecer e produzir o mecanismo irônico da metaficção

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Análise de roteiros de esquetes de humor veiculados no Youtube
  • Entrega das atividades passadas para casa

 

Aula 7: Poesia é chato?

Objetivos específicos da aula

  • Aprender diversas técnicas de versificação: métrica, ritmo, rimas, formatos etc.
  • Compreender o fenômeno literário do “estranhamento”

Atividades da aula

  • Aula expositiva (em slides)
  • Análise e discussão de um poema em roda
  • Considerações finais
  • Entrega dos exercícios passados para casa

 

Avaliação do processo de aprendizagem

Ao iniciar o curso, o aluno deve elaborar um exercício de escrita criativa. Ao final do processo, um exercício semelhante será cobrado. Desse modo, teremos uma noção do tipo de evolução que ocorreu, se ocorreu. No decorrer das aulas, avaliaremos a participação e o empenho dos participantes nas atividades por meio de observação e diálogos (incluindo a entrega das atividades domésticas), de modo a compor um conceito global.

Dado que o curso consiste em sete encontros, é necessário que o estudante compareça a no mínimo cinco deles para ser considerado aprovado. O projeto de culminância consistirá em uma pequena obra literária ou de dramaturgia:

  • Os alunos poderão entregar um roteiro de 5 minutos (peça, série, filme, esquete para youtube ou esboço de um game); ou um livreto de 5 poemas (3 páginas); ou um ou dois contos que componham 3 páginas (ou um conjunto de microcontos);
  • Individual
  • As obras serão publicadas no blog da turma, pela plataforma Wordpress

Ainda na primeira aula, como uma espécie de prólogo, gostaríamos de comentar alguns cursos universitários afins, isto é, ligados à escrita criativa, e exemplos de profissionais que exercem a função como principal atividade profissional - incluindo aí até desenvolvedores de games.

Os grupos devem ser formados na primeira aula, de maneira aleatória. Eles serão os mesmos ao longo de todo o curso, a princípio. Assim, poderão desenvolver uma dinâmica própria de criatividade - respeitando a horizontalidade.

Durante as considerações finais do curso, pretendemos apresentar indicações aos alunos que queiram seguir futuramente praticando e se aprofundando na disciplina, como plataformas eficazes de blogs, clubes de leitura (presenciais ou virtuais), saraus famosos na cidade, concursos literários, sebos tradicionais, livrarias e instituições com atividades culturais regulares ligadas à escrita criativa etc. 

« volta